quinta-feira, 4 de março de 2010

Teste do Coisa

No post passado fiz umas colocações sobre ética —a idealizada pelo Coisa— e o povo brasileiro.

Como eu já fui brutal na crítica a alguns amigos e a esses ditos "classistas" de Darcy Ribeiro, vou fazer uma brincadeira aqui.

Antes de continuar insiro um adicional fora do contexto. 

Os blogueiros "pro" não toleram muita mistura de assuntos ou linguagem coloquial demais. Tudo pra eles é muito sério.
São como os adeptos do SM. Tudo é muito sério. Ops, não posso falar disso aqui porque a Convenção de Genebra proíbe. Aquela mesmo do peido no elevador.
Bom, mesmo os escrachados são sérios, já que são constante e regularmente escrachados.
Os que ficam no meio termo são os metidos a Joelmir Betting, ou seja, aqueles que estão sempre, mas SEMPRE MESMO, querendo ser suavemente irônicos e sarcásticos.
Quando você cria o blog já tem que classificá-lo de alguma maneira, e é proibido, sob pena de banimento, censura ou esquartejamento em praça pública, de mudar de tom ou assunto.

Ok, vamos ao teste:

Primeiro, seja sincero com você mesmo, o que é quase impossível para a maioria.
Segundo, não pense muito, caso contrário haverá uma manipulação inconsciente da resposta.


1) Você vai ao supermercado e o estacionamento está cheio, mas existem várias vagas de idosos e portadores de necessidades especiais, você:

a) nunca estaciona lá
b) raramente estaciona lá
c) ocasionalmente estaciona lá
d) para lá e quer que se fo%@ o mundo


2) Você vai deixar aquele anencéfalo do seu filho na escola (já que o 'príncipe' não pode ir a pé ou de ônibus) e a rua está cheia, então você:

a) para no meio da rua e quem quiser que "passe por cima"
b) dá voltas no quarteirão até achar uma vaga que não atrapalhe ninguém
c) para em fila dupla, pois afinal "são só 5 minutinhos"
d) resolve pagar uma van de transporte, pois assim quem se vira é o motorista


3) Você está assistindo ao seu telejornal favorito depois de ficar, no mínimo, 12 horas fora de casa tomando na... hum, hã... trabalhando nobremente, e vê a notícia de um caso de pedofilia numa escola. Na hora você pensa:

a) se for comprovado deviam matar esse maluco
b) legal terem colocado fogo na escola e terem apedrejado a casa do dono
c) uma coisa dessa só pode ser feita por quem não tem Deus no coração
d) é necessário punir caso comprovado, mas acho estranho um comportamento patológico como esse atualmente


4) Você é um trabalhador-padrão que vive decentemente com o seu salário, mas vê a oportunidade de fazer umas horas extras pra "faturar mais algum". Logicamente:

a) não vejo mal nenhum em me esforçar mais pra ganhar mais
b) não sei se é correto, já que não preciso de mais nada e posso estar tirando a oportunidade de outra pessoa desempregada
c) na minha posição hierárquica não tenho hora extra, mas estou no topo do organograma da empresa
d) faço porque tenho medo de ser mandado embora


5) Nosso excelentíssimo Presidente da República está discursando e você ouve, logo:

a) impávido, já começa a discursar sobre como um ignorante desqualificado chegou à presidência
b) penso que é mais um político como os outros
c) não faço ideia de quem é esse sujeito, sou milionário e não dou a mínima pra quem é presidente
d) não acredita em como a dita esquerda desse país faz um governo mais de centro que os próprios políticos de centro





















Some sua pontuação (resposta = pontos):

1) a = 0; b = 1; c = 3; d = 5
2) a = 5; b = 0; c = 3; d = 1
3) a = 3; b = 5; c = 1; d = 0
4) a = 3; b = 0; c = 5; d = 1
5) a = 3; b = 1; c = 5; d = 0

Importante! Se você pensou, em qualquer uma das perguntas, "se todo mundo faz, por quê eu não faria?", considere todas as respostas como 3 pontos!

Coloque um espelho na frente da cara e veja os resultados:

0 a 2 pontos: pessoas como você ainda me dão esperança na humanidade.
3 a 7 pontos: suas considerações morais e éticas não são lá essas coisas, mas quem sabe usando a cabeça para algo além de suporte de chapéu isso melhore.*
8 a 19 pontos: típico classe média nojento, reacionário, classista e hipócrita.*
20 ou mais: uma criatura desprezível, mas admiravelmente sincera.

* Fácil prever que nesses grupos estão os que "compram carro novo porque dá menos poblema", " trocam de televisão porque a outra é mais fina", "trocam de celular porque o outro tem bateria que dura mais" e petardos de gênero. E ainda se dizem preocupados com a latinha de alumínio na reciclagem...
   
Brincadeira, né?

Bem, a questão 4, por exemplo, foi praticamente colocada dessa maneira (mas colocava-se uma jornada de 4 horas e blá, blá, blá) por Bertrand Russell em "Elogio ao Ócio".