segunda-feira, 26 de abril de 2010

Criações globais

Como um bom desocupado e seguidor da doutrina (está na moda essa palavra entre a classe média) do PVL*, vejo de vez em quando o Jornal Hoje na gRobo depois do meu almoço.
O programa é tão ruim que me aumenta o sono e ajuda na sesta.

SBT e Record, como todos sabem, são as grandes exibidoras de novelas mexicanas.
Mas admito que a Globo inovou no conceito de "jornal mexicano".

A tal Sandra Annenberg, ex-atriz e quase-jornalista, faz uma apresentação canastrona de jornal. Algo patético.
Aliás, a coleção de apresentadores de televisão é um desfile de mediocridades, um clássico exemplo de como a estupidez reina no mundo corporativo.
Ou você se acha muito brilhante porque recebeu uma promoçãozinha mequetrefe no seu trabalho?

A dita senhora faz cara de compadecida quando fala das criancinhas mortas, cara de brava quando fala do ex-governador de Brasília, cara de assustada quando fala do assassinato de sei lá quem e por aí vai.
Tudo na maior canastronice e coroado por comentários absolutamente dispensáveis.

Talvez subestimem o público-alvo: as donas de casa e os desocupados.
A equipe é toda meiguinha, se olha com sorrisos e soltam gargalhadas 'globais' (essas completamente forçadas).
Uma injustiça contra as donas de casa e os marmanjos que querem um pouco de informação (ou sono) durante o dia.


* PVL - Projeto Vida Longa, conceito quase espiritual de vida, que prega a vida livre de preocupações. Desprendimento material, intestinal e gasoso são as palavras-chave. Faça o mínimo possível. Doutrina (olha ela aí de novo!) pioneira na ecologia extrema: consuma o mínimo (e, consequentemente, trabalhe o mínimo) e não procrie. Dessa maneira você dispensa a babaquice e a hipocrisia de ficar preocupado com as garrafas pet.

Posto mais sobre o projeto qualquer dia desses...