terça-feira, 4 de maio de 2010

Se eles são o futuro...

Assisti novamente Madadayo.
Kurosawa nunca é demais.

Com tanto respeito e reverências ao sensei, pensei (vishi, cacofonia nipo-brasileira!) em uma das reivindicações dos professores brasileiros: a de não querer mais apanhar.
Esses meninos "puros e ingênuos" são nosso futuro...

O filme é muito lindo! Um requiem.
Kurosawa faleceu 5 anos depois, em 1998.

O sofrimento excruciante do sensei com a perda de Nora é perfeitamente compreensível...

Temos muito a aprender com esse povo, mas nada é perfeito.
O número de suícidios no Japão é alto (o próprio Kurosawa tentou o suicídio uma vez), assim como o alcoolismo e a violência doméstica, que até há poucos anos era tratado como "assunto privado".

Uma em cada 3 mulheres japosesas sofrem ou sofreram agressões e a cada 3 dias uma vítima de violência doméstica morre.
Provavelmente graças à influência ocidental, a violência entre os jovens vem aumentando na mesma proporção do aumento do vandalismo.

Voltando à ficção...
Não entendeu nada porque não viu o filme?
Azar o seu.