sábado, 13 de fevereiro de 2010

Relações biológicas

Falei sobre o Gikovate na última vez.
Li a primeira vez um artigo seu numa revista Claudia pasmem (cheio de mulheres em casa... é a vida...). Era sobre liberdade.
Também falei vagamente sobre a falta de alicerce nos relacionamentos humanos modernos com aqueles sujeitos que dizem "vamos marcar" ou "vamos ver".

Bom, vi um Café Filosófico com o Gikovate sobre amor e tal. Mais uma vez adorei seus pensamentos!

Sempre fui acusado de certa distância ou "pouco amor" por algumas namoradas e visto de modo estranho por casais amigos cuja independência se esvaiu na relação como uma simbiose às avessas, por exigir certa liberdade individual, e claro, a proporcionar também.

"São 3 os estados civis: mal casado, solteiro e bem casado. Estar sozinho é bom e não é vergonhoso. Ao contrário, dá dignidade à pessoa." - Flávio Gikovate

Pros solteiros só digo que morem sozinhos um tempo antes de casar...

Dos casados, conheço uns 99% que estão na categoria dos mal casados.
Isso ocorre quando os dois sujeitos viram um só, ou seja, na biologia seria um caso (inexistente) de "anti-simbiose": dois indivíduos vivem juntos fazendo mal a ambos e produzindo terceiros (ou quartos e quintos...) indivíduos já doentes. Da alma.

Apesar de não crer na babaquice do amor romântico burguês, eu creio no que o Gikovate chamou de "+ amor", acredito que por falta de definição melhor.
Ele descreve uma relação onde amor, amizade e tesão participam em condições de igualdade. Somo a isso a manutenção das liberdades individuais, mas isto está intrínseco na amizade.

"O primeiro passo para a felicidade sentimental consiste em aprendermos a ficar razoavelmente bem sozinhos. Trata-se de um aprendizado e requer treinamento, já que nossa cultura não nos estimula a isso. Temos que nos esforçar muito, já que os primeiros dias de solidão podem ser muito sofridos. Com o passar do tempo aprendemos a nos entreter com nossos pensamentos, com leituras, música, filmes, internet, etc. Aprendemos a nos aproximar de pessoas novas e até mesmo a comer sozinhos. Pessoas capazes de ficar bem consigo mesmas são menos ansiosas e podem esperar com mais sabedoria a chegada de amigos e parceiros sentimentais adequados." - Flávio Gikovate

Com isso você já entende o meu conselho aos solteiros...

Resumindo de modo simplório como identificar um mal casamento, chame seu amigo (aquele que antes de casar sempre saía com você) pra tomar uma cerveja. Se ele responder "vamos ver", "vamos marcar", "vou ver" ou qualquer coisa idiota do tipo, tenha pena dele... deles, pois ambos estão numa "anti-simbiose"!

No mesmo programa ainda discutiu-se amizade, paixão, felicidade democrática e felicidade aristocrática... mas vamos brincar com isso depois.

Há dez anos, meu estimado Flávio, vivo o + amor!

"Que ela nunca acontecerá de novo
É o que torna a vida tão bela."
Emily Dickinson