quinta-feira, 12 de maio de 2011

Double bônus

A comprovação na verdade já havia sido feita experimentalmente através da curvatura da luz há um bom tempo. Mas taí, louvemos novamente o gênio.

Ilustração mostra a sonda ao medir a curvatura do espaço-tempo
Foto: Nasa/Divulgação

A agência espacial americana (Nasa) anunciou nesta quarta-feira que a sonda Gravity Probe B (GP-B) confirmou a teoria geral da relatividade, concebida há quase 100 anos por Albert Einstein. A força da gravidade dos grandes corpos do Universo distorcem o tempo e o espaço, afirmaram os cientistas envolvidos na pesquisa. 

"Einstein sobrevive", disse Francis Everitt, físico da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, e principal pesquisador do satélite GP-B, um dos projetos em curso mais antigos da agência espacial americana. A preparação do experimento de física levou mais de quatro décadas e foi lançado finalmente em 2004.



De acordo com as teorias de Einstein, os corpos cósmicos maiores - como os buracos negros, os planetas e as estrelas - alteram o espaço e o tempo ao seu redor com sua força de gravidade. Até então, esses prognósticos não haviam sido comprovados porque as alterações são minúsculas e não se contava com a tecnologia necessária para detectá-las.
O experimento utilizou quatro giroscópios avançados para medir o efeito geodésico, ou seja, a curvatura do espaço e do tempo em torno de um corpo gravitacional, e a fricção do marco de referência, ou seja, quanto espaço-tempo é arrastado quando um objeto gira. 

Em comunciado, a Nasa informou que, se os giroscópios apontassem na mesma direção sempre que estivessem em órbita, a teoria de Einstein teria sido refutada. Porém, como confirmação da teoria geral da relatividade de Einstein, "os giroscópios experimentaram mudanças mensuráveis na direção de seu giro à medida que eram atraídos pela gravidade da Terra". 

Segundo o cientista Francis Everitt, da Universidade de Stanford, o GP-B confirmou duas das previsões mais importantes de Einsten, com implicações de longo alcance para a astrofísica. "Esta missão terá um legado duradouro na Terra e no espaço", disse.
As medições da sonda se aproximam significativamente com as projeções de Einstein, de acordo com as descobertas publicadas na revista científica Physical Review Letters.

Sonda espacial
 
A sonda que concluiu no ano passado sua missão de coleta de dados, foi idealizado pela primeira vez em 1959. Leonard Schiff, chefe do departamento de física de Stanford, e George Pugh, do Departamento de Defesa, sonhavam com um satélite que orbitasse a Terra e colocasse à prova a teoria de Einstein. 

Everitt uniu-se ao projeto em 1962, seguido pela Nasa, em 1963. "Há 41 anos, o satélite foi lançado em uma órbita de mais de 600 km sobre a Terra", disse a Nasa. 

As tecnologias criadas para desenvolver a sonda gravitacional foram utilizadas posteriormente para elaborar os sistemas de posicionamento global (GPS) e o cálculo da radiação de fundo do Universo. "Este cálculo é a base da teoria do Big Bang e concedeu o prêmio Nobel a John Mather, da Nasa", lembrou a agência espacial.

Centenas de estudantes universitários e dezenas de estudantes de ensino médio trabalharam no projeto, incluindo nomes célebres como Sally Ride, a primeira astronauta mulher a viajar ao espaço, e o Prêmio Nobel Eric Cornell.