terça-feira, 30 de dezembro de 2014

E voa mesmo...

Há pouco tempo fui no show "20 years of Jethro Tull" no Olympia.
Sai da facu faltando em aulas pra variar (nunca estudei na minha vida, nem sei como consigo sobreviver até hoje).

Meus amigos, futuros PhDeuses em Física, me encontraram dormindo na porta.
Fui de busão cedo e pra variar, sem grana, nada pra fazer a não ser esperar dormindo na porta.

O Jethro Tull lançou esse ano um álbum em comemoração a seu 40º aniversário.



Pois é, meu há pouco tempo foi há 20 anos...
Depois de uma certa idade, provavelmente após a auto consciência se afirmar totalmente, o tempo vira algo meio esquisito.

Enfim, acho uma pena o Tull não ser popular entre os jovens de bom gosto.
Uma rock único, as vezes sofisticado e poético e às vezes irônico e agressivo.
Com a flauta de Ian Anderson e sua voz em falsete inconfundível (falando, é a voz mais grossa/grave que já ouvi na vida) é uma banda enigmática para se classificar.

Certo ano ganhou o prêmio de a melhor banda de heavy metal na MTV em cima, pasme, do Metallica.
Nem foram receber o prêmio.
Ian é genial e não daria crédito a essas baboseiras.

Tull é uma banda de hard rock-folk (!?) que trilha com competência o jazz, folk, blues e o hard rock.

Não deixem de aproveitar sua longa carreira antes que o Sr Anderson resolva apenas manter sua empresa de pesca.