sexta-feira, 1 de agosto de 2014

Design "inteligente"

É raro eu entrar nessas discussões toscas que aparecem na net, mas as vezes fico surpreso. Ainda.
Um menino defendendo o design "inteligente" e a "lógica" da fé me faz perder a esperança na humanidade.

Claro que a argumentação é falha e repleta de inconsistências, mas a insistência do rapaz em dizer que seus dogmas são científicos é o que me desconcerta.

Não que a ciência não tenha seus dogmas, por exemplo, parafraseando Marcelo Gleiser, alguns cientistas defendem a grande teoria da unificação como um monoteísmo científico.
Ou ainda as "verdades parciais" como a gordura faz mal. 
Que o protocolo de eliminação do sal para hipertensos é absoluto.
Isso sem falar nas meias verdades experimentais com objetivos mercantilistas e de auto promoção como a fusão a frio ou o exosqueleto do Dr Nicolelis.

Enfim, sugeri a ele que entrasse numa boa universidade e escrevesse uma tese sobre o Design estúpido.


O Design estúpido seria mais fácil de defender do que o design inteligente.

Ele poderia incluir que, Chapolin O Poderoso, criou um olho que enxerga apenas uma diminuta faixa no espectro eletromagnético, nos deixando cegos para as restantes.

Que Chapolin, apesar de ter criado um sistema digestivo entre os carnívoros e os herbívoros, não o fez muito apto a digerir várias fibras vegetais e não nos fez aptos a pescar eficientemente, já que não conseguimos foco embaixo d'água, temos desenvoltura tosca nesse ambiente e impossibilidade de manter minimamente a própria vida nele.

Como além de tonto é um comediante, mesmo que de quinta categoria, nos fez centralizados em uma coluna vertebral para quadrúpedes e nos criou bípedes.

Por ironia, nos dotou de um cérebro maior que o Dele para que, apesar de apenas uma minoria, víssemos o quão deficiente somos.

Criou um universo e mesmo um mundo que em sua maior parte é inóspito a nós só pra sacanear.

Fez com que nossas células tivessem todo tipo de problemas de auto replicação, para que em certa idade e em vários casos em qualquer idade passássemos a ter "coisas estranhas habitando" nosso corpo e por fim acabássemos em total decrepitude ou subitamente na aurora de nossa juventude.

Chapolin o Grande também não programou nenhuma espécie de ética, fazendo com que dependêssemos uns dos outros para aprendê-la o que fez com que cada agrupamento humano em cada época criasse os valores que bem entendesse mesmo que esses valores se contradissessem ou exterminassem qualquer irmão de raça.

A essa última característica assim como algumas outras dúbias no pensamento, chamou de livre arbítrio, para que a culpa recaísse sempre sobre nós mesmos, o que além de sádico demostrou total falta de lógica, o que faz sentido para Chapolin o Criador.

Além de várias outras imperfeições toscas nos seus filhos, como grande sacanagem final dotou as espécies de um processo evolutivo que fizesse milhares de versões inaptas para que uma ou outra fosse apta a seu ambiente.


Aff, olha, isso é piada, mas não se admirem se isso for parar em alguma banca por aí.
As imperfeições e falhas são a síntese do universo, e isso não é ruim nem bom, apenas é o que é, portanto, defender o Design Estúpido do Grande Chapolin Criador Todo Poderoso é mais coerente que o design inteligente.

Perfeição é estagnação, imutabilidade.
Evolução não é melhoria é adaptação sem viés moral.
Todo universo é mutável pelas suas assimetrias e imperfeições.
A natureza, seja lá qual for de suas muitas variantes geológicas, é bela e possível pois é imperfeita, só isso já derruba qualquer design inteligente.
Quem sabe o design estúpido seja mais viável.

Acho que era melhor o jovem rapaz ter apenas dito que acredita porque acredita e ponto final. Era mais nobre e economizava energia.
Misturar fé com razão é completamente inconcebível.