terça-feira, 17 de agosto de 2010

Inquisição

Mais uma vez fui interrogado por não ter filhos.
Sim, interrogado. É praticamente uma inquisição.

De cara isso me leva a crer que o único motivo real para essas pessoas terem filhos é "porque todo mundo tem". Por inércia mesmo.

Posso dividir meus inquisitores em dois grandes grupos: os que insistem em "por que?" e os que supostamente são mais discretos e guardam o "psicologismo de botequim" para si.

Os primeiros são cômicos!
A grande pergunta não é porque eu não quero ter filhos mas sim porque eles querem.
A alegação "gostar de criança" já cai por terra, afinal, isso não pode ser um motivo, mesmo porque, o mundo está virando um local bastante insalubre para a vida.
Também imagino que isso é um motivo bastante egoísta, assim como "alguém para te fazer companhia" ou "cuidar de você na velhice".

O segundo grupo é patético!
Típicos classe média cujas "opções" de vida nunca foram opções.
São engenheiros, advogados ou médicos (e demais profissões de "gente séria e responsável"), que casam mal, tem filhos, cuidam dos seus carrinhos polidos, vão pra resorts e fazem cruzeiros pra terceira idade (todo cruzeiro é pra terceira idade - não a física, mas a mental mesmo) e tudo mais o que uma vida boring reserva.

De fato, minha infância foi ótima (da época que viver na rua, tomar água de torneira, andar de carrinho de rolimã e chupar cana não era "crime") e adoro minha família.
Nada que o "psicologismo de botequim" possa simploriamente explicar.

Nessa terra da ditadura infantil é quase inaceitável optar por não procriar.
E não gostar de criança mais ainda.

É absolutamente ilógico, irracional mesmo, a afirmação "gostar de criança" da mesma maneira que "gostar de adulto". Existem pessoas que você tem empatia e outras não. Fim.

Mas confeço que essas coisinhas remelentas não fazem a minha cabeça mesmo.
Pra mim elas fazem parte do mesmo grupo dos cachorros: barulhentos, mal cheirosos e sempre cagando (defecando é abominável, convenhamos), mijando (urinando então, nem vou falar) ou qualquer outra coisa nojenta.

Não entendo nada do que elas dizem e muito menos o que os baba ovos querem mostrar quando ficam no "tchuqui, tchuqui".

Mas a unanimidade ainda não é total, aliás, parece estar perdendo força.
Vários casais amigos estão se curtindo sem essa necessidade bizarra.
Existem hotéis na europa que não permitem crianças.
Aliás, aqui na "terra do nunca" (não é a do Peter Pan, é a do 'nunca' diga 'não' aos retardadinhos), já existem várias pousadas que não aceitam crianças!

Por fim, todo desgraçado parace que quer te amaldiçoar também.
Deviam ver o filme Idiocracy...