segunda-feira, 3 de novembro de 2014

A ansiedade do status

Mais um documentário excelente do filósofo Alain de Botton sobre a vida contemporânea, em especial o status.

Mais um que põe abaixo a meritocracia...

"Contrariamente ao que uma mente otimista nos ensina, tudo acaba por se tornar pior.
Vamos morrer, nossas obras serão esquecidas, tudo aquilo porque lutamos será ignorado e talvez ridicularizado e mesmo nosso nome será pisado.

Seja qual for nosso status, estamos todos destinados a acabar na mais democrática das substâncias: o pó.

Se há alguma coisa tranquilizadora na ideia de que todos vamos morrer, é talvez porque algo dentro de nós reconhece instintivamente que muitas das nossas preocupações estão ligadas a coisas que, num esquema mais vasto, são coisas mesquinhas.

Pensar em nós numa perspectiva de, daqui há mil anos, regressados ao pó numa sepultura esmagada é ter uma rara visão calmante da nossa própria insignificância." - Alain de Botton



"Não há riqueza, mas sim vida, incluindo todos os seus poderes de amor, de alegria e de admiração." - John Ruskin






Para completar, Sêneca e a raiva: